+55 (11) 4506-3239
academy@glsolutions.com.br

Pensando em IoT

14 jan 2019

Pensando em IoT – Internet das Coisas e IBM Integration Bus

/
Posted By
/
Comments0
/

Um dos assuntos em alta no mundo da tecnologia é a IoT, ou internet das coisas. Caso você não esteja por dentro, IoT significa Internet das Coisas, ou seja, refere-se a comunicação entre dispositivos. Por exemplo, em uma casa inteligente, quando começa a chover, um sensor de chuva na área externa emite uma notificação da chuva, e a casa aciona os sensores da janela, que fecham as janelas que estão abertas e expostas a chuva. No mesmo momento, um sensor de temperatura dentro da casa identifica o aumento da temperatura, mas como está chovendo, deve ligar o ar condicionado para manter a temperatura estável. Ao parar de chover, tudo deve voltar ao normal. Este comportamento da casa deve ser ajustado pelo dono da casa, como horários, o que ligar/desligar, temperatura, etc.

Neste exemplo super básico, você consegue imaginar a complexidade olhando somente para estes 3 componentes? Eles devem se comunicar e tomar decisões em relação a qual ação tomar. Para cada componente, imagine também algum tipo de inteligência: o sensor de chuva apenas informa se está chovendo ou não, o sensor da janela deve saber se a janela está aberta ou não, e o motor de abertura/fechamento da janela (que poderia ser outro componente), e o ar condicionado tem outros sensores para determinar temperatura, velocidade, etc. Além disso, é preciso uma central com a configuração do dono da casa, sobre como ele quer que a casa se comporte. Esta central poderia existir tanto na internet ou em uma rede privada.

Indo para o lado um pouco mais técnico, estes componentes e sensores estarão conectados trocando informações através de um protocolo chamado MQTT, ou Message Queueing Telemetry Transport, um protocolo criado há alguns anos atrás pela IBM e doado a comunidade Open Source. Desta forma, os dispositivos conseguem trocar informações utilizando este protocolo. Muitos softwares de mensageria suportam o MQTT, como o RabitMQ, Apache Kafka, IBM MQ, entre outros. Porém, ainda assim, você só consegue alcançar um potencial ainda maior quando possui uma inteligência adicional por trás, seja desenvolvendo uma aplicação, ou então utilizando um serviço de broker, como o IBM Integration Bus.

Com o IBM Integration Bus, seria possível adicionar alguma inteligência como por exemplo: O alarme da casa foi acionado, então o IIB recebe no MQTTSubscribe node esta informação, e executa o fluxo, consultando a localização dos donos da casa através de um webservice do Google ou Apple, e identifica que estão distantes da região, e imediatamente aciona o dono da casa e a polícia, e mantém o alarme ligado. Caso o dono esteja por perto, mantém o alarme ligado até que o próprio dono desligue enquanto em um outro MQTTSubscribe, monitora o alarme, acionando a polícia com possíveis reféns na casa após alguns minutos, coletando fotos de câmeras da casa.

Ou seja, ao invés de um sistema, o próprio broker faria este papel. Claro que este é um exemplo ilustrativo, mas serve para mostrar algumas possibilidades de um broker. Além disso, ele atua muito forte na integração, não só de IoT, mas toda a tecnologia. Ele é o integrador entre duas ou mais pontas, podendo transformar a mensagem, adicionar ou remover informações, distribuí-las a outros pontos antes de entregá-la, isso sem contar toda a estrutura de confirmação de entrega sem duplicidade.

E aí? Deu para viajar um pouco em algo que se fala tanto, mas nem sempre nos permitimos ir um pouco além? E que tal aprender ainda mais em um curso que iniciará mês que vem, onde você terá aulas ao vivo, material em português, e poderá sugerir a abordagem de assuntos específicos nas próximas aulas? E o melhor ainda, participará de um grupo voltado para o Integration Bus para discutir idéias e aumentar o seu networking. Este será um curso único e você não pode ficar de fora!

QUERO ME INSCREVER

Leave a Reply